Qual a Melhor Regra de Transição para Aposentadoria?

Qual a melhor regra de transição para aposentadoria

A aposentadoria é um momento muito importante em que as pessoas buscam tomar boas decisões para garantir um benefício ideal. Por isso, neste momento vem a pergunta: Qual a melhor regra de transição para aposentadoria?

Além da reforma da previdência ter resultado em diversas regras de transição, conhecer mais sobre cada uma delas pode ajudar o contribuinte a conhecer melhor os seus direitos.

Saber sobre esse assunto com certeza faz toda a diferença, afinal, isso ajudará a decidir qual é a melhor regra de transição para aposentadoria.

O que são as regras de transição?

As regras de transição são normas aprovadas durante a Reforma da Previdência destinada, em 13/11/2019, às pessoas que já contribuiam antes do dia 12/11/2019, mas não conseguiram concluir os requisitos para obter o benefício até esta data.

Essas regras funcionam de forma intermediária entre as leis antigas e novas para se aposentar para que as pessoas que estavam próximas de se aposentar não fiquem muito prejudicadas pelas mudanças.

Desta forma, o contribuinte já está incluído na Reforma, mas com algumas vantagens em relação à nova regra, que podem se referir tanto ao cálculo do benefício quanto ao tempo de contribuição.

Cada regra possui diferentes critérios, portanto, é preciso saber qual é a melhor opção.

Quais são os tipos de regra de transição por tempo de contribuição?

Para sabermos qual a melhor regra de transição para aposentadoria, precisamos conhecê-las muito bem.

Para pessoas que querem se aposentar por tempo de contribuição, há um requisito que é indispensável para se enquadrar em alguma das regras de transição, que é:

  • Mulheres: devem ter pelo menos 30 anos de tempo de contribuição.
  • Homens: devem ter pelo menos 35 anos de tempo de contribuição.

Para quem já cumpriu este ponto, há quatro regras disponíveis, que explicaremos a seguir.

Regra de transição da idade mínima progressiva

Requisitos para a mulher

  • 30 anos de contribuição.
  • Mínimo de 58 anos e 6 meses de idade em 2024.
  • A idade mínima aumenta 6 meses a cada ano, até chegar aos 62 anos de idade a partir de 2031.

Requisitos para o homem

  • 35 anos de contribuição.
  • Mínimo de 63 anos e 6 meses de idade em 2024. 
  • A idade mínima aumenta 6 meses a cada ano, até chegar aos 65 anos de idade a partir de 2027.

Regra de transição da aposentadoria por pontos

O sistema de pontuação desta regra é feito da seguinte forma: Idade do contribuinte + anos de contribuição. O resultado da soma é o total de pontos que ele possui.

Requisitos para a mulher

  • 30 anos de contribuição;
  • Somar, no mínimo, 91 pontos em 2024.

A cada ano que se passar, será exigido um ponto a mais ao mínimo necessário para se aposentar. Isso irá ocorrer até chegar ao limite de 100 pontos no ano de 2033.

Requisitos para o homem

  • 35 anos de contribuição;
  • Somar, no mínimo, 101 pontos em 2024.

A cada ano que se passar, será exigido um ponto a mais ao mínimo necessário para se aposentar. Isso irá ocorrer até chegar ao limite de 105 pontos em 2028.

Regra de transição do pedágio de 50%

Requisitos para a mulher

  • Mínimo de 30 anos de contribuição;
  • É necessário que, na data da Reforma (13/11/2019), a contribuinte tenha ao menos 28 anos de tempo de contribuição;
  • Há um pedágio de 50% do tempo de contribuição que faltava para completar 30 anos de contribuição no dia 13/11/2019.

Requisitos para o homem

  • Mínimo de 35 anos de contribuição;
  • É necessário que, na data da Reforma (13/11/2019), o contribuinte tenha ao menos 33 anos de tempo de contribuição;
  • Há um pedágio de 50% do tempo de contribuição que faltava para completar 35 anos de contribuição no dia 13/11/2019.

Regra de transição do pedágio de 100%

Requisitos para a mulher

  • 30 anos de contribuição;
  • 57 anos de idade completos até a Data de Entrada do Requerimento;
  • Pedágio de 100% que faltava para a mulher se aposentar no momento em que a Reforma entrou em vigor (13/11/2019).

Requisitos para o homem

  • 35 de anos de contribuição.
  • 60 anos de idade completos até a Data de Entrada do Requerimento;
  • Pedágio de 100% que faltava para o homem se aposentar no momento em que a Reforma entrou em vigor (13/11/2019).

Outras regras de transição

Regra de transição da aposentadoria por idade

Requisitos para a mulher

  • 15 anos de tempo de contribuição;
  • Mínimo de 62 anos de idade.

Para esses casos, o valor da aposentadoria corresponde a 60% da média de todos os salários + 2% por ano que ultrapassar os 15 anos de contribuição.

Requisitos para o homem

  • 15 anos de tempo de contribuição;
  • Mínimo de 65 anos de idade.

Para esses casos, o valor da aposentadoria corresponde a 60% da média de todos os salários + 2% por ano que ultrapassar 20 anos de contribuição.

Regra de transição da aposentadoria especial

Esta regra é válida apenas para pessoas que exerciam atividades especiais, que são aquelas perigosas ou insalubres.

Esta modalidade utiliza um sistema de pontuação que é calculado da seguinte forma: idade do contribuinte + tempo mínimo de atividade especial + tempo de contribuição em uma atividade não-especial.

O tempo mínimo de atividade especial é obrigatório para todos os contribuintes, mas é possível usar uma atividade não-especial para complementar a pontuação.

Nesses casos, não há diferença nas regras para homens e mulheres.

Requisitos

  • Atividade de baixo risco: 86 pontos + mínimo de 25 anos de atividade especial.
  • Atividade de médio risco: 76 pontos + mínimo de 20 anos de atividade especial.
  • Atividade de alto risco: 66 pontos + mínimo de 15 anos de atividade especial.

Qual a melhor regra de transição para aposentadoria?

Não há uma opção que seja a melhor para todos os casos. Isso varia de acordo com a expectativa de cada contribuinte, seu histórico e as atividades que foram exercidas.

Para saber qual a melhor regra de transição para aposentadoria, o contribuinte precisa levar em conta:

1- Conhecer as regras em que se adequa

O trabalhador que busca a melhor forma de se aposentar precisa conhecer as normas nas quais ele se adequa e estar por dentro dos cálculos que impactam no tempo de contribuição e no valor do benefício.

Conhecendo esses detalhes, ele terá o que é preciso para fazer a melhor escolha possível. Se houver alguma dúvida, não deixe de recorrer a um advogado previdenciarista para buscar orientação.

2- Faça os cálculos que forem necessários

Em um mundo ideal, todos iriam preferir trabalhar menos e ganhar mais, mas sabemos que isso não é possível.

Quem já está por dentro dos cálculos que precisam ser feitos deve avaliar quanto tempo de trabalho é necessário para obter o melhor benefício possível.

Em alguns cenários, antecipar a aposentadoria irá proporcionar impactos no valor final do benefício, portanto, é preciso avaliar se tomar esta decisão valerá a pena.

3- Avalie o custo-benefício

Se você pretende trabalhar mais tempo para obter um valor de aposentadoria mais alto, é preciso avaliar a relação custo-benefício em optar por isso.

O que vale mais? Começar a receber a aposentadoria ou deixar de receber o benefício por alguns anos apenas para obter um valor maior?

A resposta varia de acordo com o projeto de vida de cada pessoa e, em muitos casos, prolongar o período de trabalho pode se tornar um grande prejuízo, mesmo garantindo um valor mais alto.

Faça um planejamento previdenciário

Se você está procurando saber qual a melhor regra de transição para aposentadoria e quer ficar por dentro daquelas em que você se enquadra, não deixe de fazer um planejamento previdenciário.

Se você é de Governador Valadares (MG) ou região, pode garantir toda a assistência necessária para obter o melhor benefício possível clicando aqui.

Links Para Leitura

Compartilhar:

Veja mais publicações

Guia da Previdência Social
Uncategorized

Guia da Previdência Social: O que é e como gerar a GPS

Manter-se em dia com as contribuições ao INSS é essencial para garantir seus direitos previdenciários.  Contribuintes individuais, facultativos e segurados especiais (facultativos) têm a responsabilidade

Aposentadoria da mulher: Conheça as regras de 2024
Aposentadorias

Aposentadoria da mulher: Conheça as regras de 2024

A aposentadoria da mulher passou por significativas mudanças após a Reforma da Previdência de 2019.  Essas alterações impactaram diretamente as regras para a concessão do

Autismo aposenta?: Saiba o que a lei diz a respeito
Aposentadoria da pessoa com deficiência

Autismo aposenta?: Saiba o que a lei diz a respeito

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é uma condição neurológica que tem recebido cada vez mais atenção nos últimos anos.  Diante do diagnóstico, muitas famílias